SOBRE

O Desafio Aprendizagem Criativa

O Desafio Aprendizagem Criativa Brasil visa fomentar a implementação de soluções inovadoras que ajudem a tornar a educação brasileira mais criativa, prazerosa, relevante, colaborativa e inclusiva para crianças e jovens de todo o Brasil.

 

Organizado pela Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa, e contando com o apoio da Fundação Lemann e do MIT Media Lab, o Desafio também tem como objetivo identificar, conectar e apoiar indivíduos brasileiros – artistas, pesquisadores, educadores, desenvolvedores de tecnologia e tomadores de decisão – que possam ter um papel-chave no avanço de práticas de Aprendizagem Criativa em escolas públicas do Ensino Fundamental ao Ensino Médio como também em ambientes de aprendizagem não formais de todo o Brasil.

 

O Desafio Aprendizagem Criativa Brasil está na sua 5a edição. Desde seu início tem apoiado uma grande variedade de projetos como novos produtos, serviços, ações educativas, ou formações, com ou sem o uso de tecnologias digitais. Por exemplo, dentre os temas abordados em projetos passados encontram-se:

  • Desenvolver e promover estratégias, atividades, materiais e ferramentas que ajudem a transformar laboratórios de informática em espaços de aprendizagem criativa;

  • Elaborar programas de treinamento e redes de apoio que ajudem professores de escolas públicas a se tornarem criadores e facilitadores de atividades de aprendizagem criativa;

  • Desenvolver kits de baixo custo para explorar noções de arte, ciência, tecnologia e matemática e utilizá-los no desenvolvimento de atividades pedagógicas com professores e alunos;

  • Desenvolver a atividades de aprendizagem criativa com populações vulneráveis promovendo sua inclusão e empoderamento por meio de ações relevantes e significativas.

  • Levar a aprendizagem criativa a redes de centros e bibliotecas ligadas às redes de ensino.

Veja aqui as temáticas selecionadas no Desafio de 2017, no Desafio de 2018, e no Desafio 2019.

 

Com a realização deste arcabouço de experiências, chegou o momento do Desafio dedicar um olhar ainda mais focado no ambiente escolar com suas exigências curriculares e estruturais. Portanto, com este intuito, o Desafio 2020 pretende procurar propostas que desenvolvem especificamente ações aprofundadas em sala de aula com o apoio de múltiplos níveis decisórios no ecossistema escolar voltados para a disseminação das práticas de aprendizagem criativa.  Estamos procurando equipes formadas por gestores, diretores e professores já empenhados em tornar as escolas de sua região mais criativas e relevante para todos.

 

Os representantes dos projetos selecionados serão premiados com uma Creative Learning Fellowship  para fomentar a implementação de seu trabalho. Entre outros benefícios, os Fellows irão:

  • Receber apoio técnico, educacional e logístico para implementar seus projetos durante o período do programa;

  • Familiarizar-se com a Aprendizagem Criativa e o trabalho do Lifelong Kindergarten Group (LLK) do MIT Media Lab;

  • Participar de reuniões de trabalho presenciais no grupo Lifelong Kindergarten (LLK) no MIT Media Lab, em Cambridge, Massachusetts;

  • Visitar instituições e programas educacionais referências na região de Boston;

  • Ajudar pesquisadores do LLK (e a comunidade do MIT Media Lab) a aprender mais sobre os desafios e as oportunidades inerentes à educação brasileira;

  • Ingressar em uma comunidade ativa de outros Fellows e adeptos da Aprendizagem Criativa no Brasil.

 

Ao entrarem para essa rede de profissionais, tomadores de decisão e pesquisadores que compartilham dos ideais da aprendizagem criativa, esperamos que os Fellows possam aprender com as experiências do grupo e, juntos, ajudar a transformar a educação brasileira em algo que fomente cada vez mais o potencial humano de seus alunos e contribua para a construção de um mundo mais significativo para todos.

Cronograma

17 de fevereiro de 2020: Divulgação da lista dos finalistas
25 de fevereiro de 2020: Divulgação dos selecionados

Motivação

A fim de formar cidadãos críticos e ativos em uma sociedade em constante transformação, é importante que, desde cedo, todos tenham oportunidades de criar, de se expressar e de testar suas ideias. Embora existam cada vez mais iniciativas neste sentido, esta ainda é uma realidade muito distante da maioria dos jovens e crianças brasileiras.

 

Na escola, os alunos geralmente passam o dia imersos em conceitos abstratos e têm que se contentar com o que veem nos livros ou escutam do professor. Fora das escolas, o universo desses jovens também tende a ficar restrito a atividades passivas, pré-concebidas e, em muitos casos, isoladas do restante do mundo.

 

Segundo a Aprendizagem Criativa, abordagem educacional defendida pelo MIT, este cenário pode ser transformado por meio da criação de iniciativas educacionais que incentivem:

  • O desenvolvimento de produtos compartilháveis tais como objetos no mundo físico ou virtual, histórias, apresentações, instalações artísticas e outros;

  • O foco nos interesses e paixões dos alunos;

  • A colaboração e o respeito mútuo;

  • A exploração lúdica, a brincadeira e a percepção do "erro" não como um defeito, mas sim como uma tentativa que faz parte integral do processo de aprendizagem.

 

As novas tecnologias da informação e comunicação podem contribuir muito na implementação de ambientes de Aprendizagem Criativa. No entanto, ao invés de jogos e programas multimídia que tendem a reforçar uma postura passiva dos estudantes como consumidores da informação, a Aprendizagem Criativa exige ferramentas mais abertas que incentivem a construção de projetos pessoais, a troca de ideias e a reflexão sobre o processo. Exemplos incluem, mas não se limitam a instrumentos musicais e editores gráficos, kits de computação criativa como o Makey Makey, e ferramentas de programação como o Scratch, que facilita a criação de jogos e arte interativa no computador.

 

Ainda que a tecnologia seja importante, ela não é suficiente e nem essencial para todas as iniciativas e atividades de Aprendizagem Criativa. Em alguns casos, é importante tomar cuidado para que ela não acabe inviabilizando ou mesmo divergindo o foco da proposta educacional. Para a Aprendizagem Criativa, a tecnologia digital deve ser vista principalmente como um meio; não como um fim em si mesma.

 

A Aprendizagem Criativa pode se dar em salas de aula, em centros comunitários, marcenarias, ateliês de arte, laboratórios de informática, residências e em vários outros lugares. O fundamental é que o espaço seja acolhedor, que respeite as ideias de todos, e que ofereça os materiais, as ferramentas e o suporte apropriados para a transformação destas ideias em algo concreto e significativo para os aprendizes.

© 2023 por Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram