DAC 2020

 o Desafio 2020 busca propostas que desenvolvem especificamente ações aprofundadas em sala de aula com o apoio de múltiplos níveis decisórios no ecossistema escolar voltados para a disseminação das práticas de aprendizagem criativa. 

Atividades

A 5ª edição do Desafio Aprendizagem Criativa Brasil ocorrerá de março a dezembro de 2020. Durante este período, os Fellows selecionados terão encontros presenciais, participarão de reuniões virtuais mensais, passarão uma semana no MIT Media Lab e trabalharão nos seus projetos.

 

Os Fellows irão compartilhar reflexões mensais e receber feedback de outros Fellows, professores, especialistas e pesquisadores. Durante o programa, parte das experiências e reflexões dos Fellows também será documentada e disseminada pela Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa e outros canais de mídia educacionais. Entre essa documentação são exemplos inovadores de atividades de aprendizagem criativa para compor a Galeria de Atividades do portal da Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa. 

 

Durante o período no MIT Media Lab, os Fellows irão:

  • Conhecer e colaborar com membros do Lifelong Kindergarten;

  • Interagir com pesquisadores e profissionais de equipes relevantes do Media Lab, do MIT e de organizações parceiras;

  • Fazer apresentações sobre seu trabalho para o LLK e a comunidade do Media Lab;

  • Discutir e refinar seus planos de projeto durante o restante do programa.

Confira AQUI o calendário de encontros previstos para 2020.

 

Ao longo do programa, os Fellows devem permanecer ativos e contribuir diretamente para a implementação de iniciativas de Aprendizagem Criativa no Brasil. Estas iniciativas devem envolver ações de articulação e fomento em uma rede pública de ensino que visam a conscientização e escalabilidade,  bem como o desenvolvimento de um trabalho aprofundado em pelo menos uma sala de aula que possa servir de estímulo para outras ações similares entre a rede. As iniciativas de gestão podem incluir a conscientização de dirigentes, gestores, coordenadores e professores por meio da  organização de oficinas e formações, criação de espaços práticos de experimentação, administração de recursos, invenção de novas ferramentas e materiais de apoio, envolvimento da comunidade de pais e alunos. A iniciativa em sala de aula deve tentar criar uma re-leitura do respectivo conteúdo curricular conforme as ideias principais da aprendizagem criativa. Desta forma, o educador apoiado institucionalmente teria condições de mergulhar em um projeto temático por vários meses com seus estudantes. Por sua vez, o engajamento do representante da secretaria de ensino favorece a disseminação das inovações em outras escolas da rede. Enfim, a atuação da equipe de Fellows envolve a socialização, discussão e refinamento das novas metodologias com seus respectivos colegas para que juntos, a comunidade construa práticas que sejam relevantes e significativas ao seu contexto.

 

Além do desenvolvimento dos seus projetos, espera-se uma participação ativa dos Fellows no fórum de discussão, nos grupos de trabalho e nos eventos organizados pela Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa.

 

Todos os materiais criados pelos Fellows como parte do Desafio Aprendizagem Criativa Brasil terão licenças de código aberto (porém, os Fellows ainda receberão todo o crédito e manterão a autoria de seus materiais), e todos os dados de pesquisa serão disponibilizados abertamente assim que forem publicados. Esperamos que esses materiais resultem em livros coletivos, publicações e recursos da web que facilitem a implementação de iniciativas mais práticas e relevantes de Aprendizagem Criativa no Brasil.

Quem deve se inscrever

O Desafio 2020 diverge dos anos anteriores neste quesito de quem pode se inscrever. As edições anteriores aceitaram propostas individuais, ou de até duas pessoas, sem a necessidade de ter um vínculo direto com a escola. Na edição 2020 procuramos equipes híbridas de 3 a 4 pessoas abrangendo três níveis do ecossistema escolar: 1) a secretaria de ensino ou mantenedor da rede de escolas, 2) a coordenação escolar e 3) o professor.  

 

O projeto deve contemplar pessoas desses três níveis decisórios, não citados como mero parceiros, mas na autoria da proposta para garantir tanto a abrangência do projeto como a profundidade das ações. Em relação à profundidade, espera-se do Fellow-Professor o desenvolvimento de projetos que exploram as ideias essenciais de aprendizagem criativa enquanto dialogam com o currículo. Este diálogo com o currículo pode estimular experimentações e remixagens por outros professores na unidade escolar com o apoio da coordenação. Espera-se do Fellow-Coordenação o fomento, socialização, testagem e reflexão das práticas entre seu corpo docente.  Por sua vez o Fellow-Secretaria utilize a unidade escolar como laboratório nas suas ações de disseminação, sustentabilidade e escala para outras escolas na sua rede de ensino.

 

Resumindo, o projeto deve necessariamente contemplar: 

  • 1 representante da secretaria estadual ou municipal de ensino, ou do mantenedor da rede de escolas, 

  • 1 integrante da equipe gestora da escola,

  • 1 represente do corpo docente que atua em sala de aula. 

 

Opcionalmente pode incluir um segundo professor ou um representante de instituição parceiro. 

 

Os Fellows de Aprendizagem Criativa devem ser pessoas com experiência em educação e com um forte empenho em ajudar a transformar a educação pública formal e não formal de todo o Brasil. Os candidatos não precisam necessariamente ter formação em áreas de tecnologia, mas devem ter interesse no uso de novas tecnologias para promover a aprendizagem criativa.

 

Os Fellows também devem ter potencial para exercer liderança na comunidade de aprendizagem criativa brasileira, ajudar a disseminar boas práticas e sustentar uma colaboração ativa com seus parceiros do MIT Media Lab.

Critérios de Seleção

O Desafio Aprendizagem Criativa Brasil busca projetos com potencial de criar um grande impacto na educação de jovens de 5 a 18 anos matriculados no Ensino Fundamental ou Médio de escolas públicas do Brasil. 

 

Para participar do Desafio, os candidatos devem apresentar uma proposta por meio do preenchimento de um formulário online. O formulário contempla a descrição dos seguintes elementos, dentre outros:

  • O projeto e as atividades que serão desenvolvidas como parte do Desafio;

  • A organização educacional onde o projeto será implementado;

  • O público alvo do projeto;

  • A relevância do projeto para a educação brasileira;

  • A experiência dos candidatos e da sua organização.

 

Cada proposta deve também fornecer uma carta de compromisso do Secretário de Ensino declarando seu reconhecimento e apoio ao projeto. Está carta deve ser submetido por meio do próprio formulário online. 

 

As propostas serão selecionadas por um conselho interdisciplinar de especialistas baseado em:

  • Relevância;

  • Alinhamento com as ideias de Aprendizagem Criativa;

  • Viabilidade;

  • Sustentabilidade e escalabilidade;

  • Envolvimento de uma rede pública de ensino;

  • Inovação.

 

O critério de "Diversidade da localização geográfica", prioridade em edições anteriores do Desafio que visava a ampliação da Rede nacionalmente, terá menos peso na edição atual. Considerando o foco em aprofundamento da aprendizagem criativa no meio escolar, pessoas que não foram contempladas pelo Fellowship anteriormente mas que são atuantes na comunidade da Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa podem trazer vivências essenciais. Por outro lado, propostas bem fundamentadas por pessoas não membros também serão igualmente valorizadas.  

Bolsa

Cada projeto selecionado para o Desafio de Aprendizagem Criativa receberá R$ 8 mil (oito mil reais) para serem utilizados nas atividades relacionadas ao projeto. Despesas de transporte e hospedagem relativas aos encontros presenciais dos Fellows no Brasil .


 

Cancelamento do Programa

A Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa, a Fundação Lemann e o MIT Media Lab se reservam o direito de, ao longo do programa, cancelar a participação dos Fellows selecionados caso identifiquem situações que limitem a possibilidade de sucesso da parceria, entre elas:

  • Fornecimento de informações inverídicas no formulário de inscrição ou processo de seleção;

  • Demonstrações de baixo comprometimento dos Fellows, como, mas não se limitando a:  ausência injustificada nos encontros presenciais e eventos, não-realização das atividades, listadas tanto no item "Atividades" quanto outras que poderão ser propostas durante o programa;

  • Implicação jurídica e de qualquer outra natureza envolvendo os Fellows e/ou as organizações relacionadas ao projeto a ser desenvolvido que comprometa a Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa Brasil, a Fundação Lemann e o MIT Media Lab.

 

Confidencialidade

A Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa, a Fundação Lemann e o MIT Media Lab se comprometem a fazer uso das informações fornecidas pelos candidatos no processo seletivo única e exclusivamente para critério de seleção no Desafio Aprendizagem Criativa Brasil e para comunicados a ele relacionados, não utilizando ou distribuindo tais informações para outros fins ou para terceiros. 

© 2023 por Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram